Select Page

Adquirir Arte com Confiança

Cuidados a ter e sugestões para comprar arte

por Alexandre Coxo, 18 de Fevereiro de 2020

Como artista deparo-me muitas vezes com a insegurança do comprador e sinto a necessidade de o acompanhar enquanto escolhe o que deseja adquirir.

Já aconteceu, no final, percebemos juntos que não é a minha arte que procura.

Por isso, como profissional, sinto a obrigação de esclarecer e ajudar os que procuram saber mais sobre arte, como o mercado funciona e como podem procurar e decidir o que escolher.

Neste artigo apresento algumas ideias sobre o que fazer para adquirir uma obra com a confiança de ter feito a escolha certa e alguns sites que pode consultar para saber mais sobre o mundo da arte.

Por onde começar

Parto do princípio que não quer envolver-se num esquema inseguro ou descobrir mais tarde que pagou muito por algo que afinal não queria. Por isso, diria que o importante é pesquisar o máximo possível antes de comprar. Assim, estará devidamente informado sobre o que quer e o que pode comprar.

Ter gosto por um estilo, um lugar da casa que quer decorar ou vontade de investir em arte são motivações muito distintas e que determinarão a forma como decide. É claro que todos os factores são importantes e que se influenciam mutuamente. Quanto mais clareza tiver sobre o que o motiva, mais fácil será orientar a pesquisa e obter informação sobre os artistas, os galeristas ou as obras de que gosta.

Numa fase inicial, lembre-se que os vendedores mais experientes terão facilidade em influenciá-lo na compra do que eles querem vender e não tanto em acompanhá-lo na procura da obra que realmente deseja. Peça todas as informações que quiser e visite várias vezes os espaços e as obras, esse tempo deverá ser de descoberta, aprendizagem e de prazer.

Motivos para comprar e quanto gastar

A arte tem muitos benefícios como o enriquecimento e o embelezamento do seu ambiente, o fazer pensar em novas maneiras de ver, o representar memórias e ideologias, o fazer sentir-se bem quando olha para ela ou até como investimento.

Seja qual for o seu motivo, comprar arte deve ser apenas com dinheiro livre de condições e sem investir muito rapidamente. Comece por valores que acha mais acessíveis. Depois de entender melhor do que gosta, uma boa estratégia é escolher o melhor trabalho do seu artista favorito. Se essa obra é muito cara, pode procurar artistas cujo melhor trabalho seja acessível.

Em todo o caso, foque-se no seu motivo principal e no que pode gastar. Dessa forma saberá se os valores pedidos são razoáveis para si em vez de se distrair com promessas de valorização.

Onde encontrar obras de arte

Tendo ou não ideia do que gosta, são sempre boas ideias visitar galerias, museus, feiras de arte ou fazer uma pesquisa online.

Hoje em dia todas as galerias e todos os artistas têm um site e uma página nas redes sociais. Existem variedades de estilos, técnicas e preços para todos os gostos, o difícil é encontrar o link que nos leva ao conteúdo que desejamos.

Sites como saatchiart.com, artfacts.net ou artbusiness.com podem ser plataformas para iniciar uma pesquisa e encontrar termos técnicos ou nomes de artistas. Depois, poderá usar as redes sociais, como o facebook, o instagram, para continuar a pesquisar e conversar com artistas ou galeristas.

Lembre-se que à medida que pesquisa sobre arte o seu gosto vai mudando e será mais fácil direccionar a sua pesquisa quanto aos artistas, assuntos ou detalhes das obras. Esteja atento e registe os termos com que as obras são descritas, assim saberá que palavras usar para avançar nas suas pesquisas e encontrar a obra do seu interesse.

Na arte, como em qualquer mercado, é importante estar esclarecido quanto ao grau de fiabilidade da galeria ou artista a que nos estamos a dirigir. Para um iniciante é aconselhado começar por ver as galerias ou os artistas com mais reconhecimento. Em princípio é sobre estes que terá mais facilidade em encontrar informação válida e comentários de outros compradores, quer online quer na versão “analógica”.

Avaliar a qualidade de um obra de arte

Este tópico é complicado, costumo dizer que é um equilíbrio entre dois pontos: a qualidade da peça enquanto matéria e a qualidade da peça enquanto símbolo.

Ou seja, por um lado ao comprar uma obra estamos a adquirir um objecto com características físicas próprias e, por isso, é importante dar atenção aos materiais e aos procedimentos com que foi feito. Por outro lado, uma obra de arte tem uma dimensão simbólica na qual nos revemos de alguma forma e, por isso, é importante atender ao que é dito na obra.

À medida que conhecemos mais sobre arte e tomamos mais consciência dos nossos gostos e interesses, ficamos mais aptos a seleccionar o que achamos melhor em função da hierarquia de critérios que desenvolvemos.

Se formos ao extremo da qualidade técnica, seleccionaremos obras feitas com materiais de grande qualidade, provenientes de fornecedores reconhecidos e usados com os cuidados que garantem a sua melhor conservação. Seguramente teremos uma obra de arte que durará muito mais tempo do que nós próprios e será um legado que deixaremos.

Se optarmos pela dimensão simbólica, optaremos por peças que representem um ideal que nos é particularmente importante, podendo ou não descuidar a dimensão física da peça. Por exemplo, as imagens de Jesus Cristo que são fotocópias colocadas em molduras baratas. Digo isto sem qualquer juízo moral, apenas refiro o contraste entre a qualidade do material e a importância dada à ideia representada na imagem.

Embora a qualidade técnica seja avaliável de forma objectiva e a qualidade simbólica de forma inevitavelmente subjectiva, na minha opinião, devemos procurar um equilíbrio entre as duas. Assim teremos uma obra que nos agrada, que nos representa e que é um investimento duradouro.

Como posso saber se o preço pedido é justo?

Nada melhor que perguntar em que se baseia o preço e como é calculado. Como comprador merece saber como e por que é que o preço tem aquele valor. Se um vendedor se esquivar ou se ofender com a pergunta, o melhor é falar com outro.

Procurar mais informação, em catálogos ou online, sobre aquele artista ou obra é uma boa forma de se elucidar. Também pode comparar os preços com artistas cujo trabalho seja parecido. Fazer comparações de preços nunca foi tão fácil e é a melhor forma de saber se estamos perante uma boa relação qualidade/preço.

Hoje em dia tudo é mensurável e tudo tem uma lei que o regula. Normalmente um artista detém para si os direitos de autor sobre uma obra, mesmo depois de esta ser vendida. Artistas mais “institucionalizados” fazem-se valer deste ponto, artistas mais novos e desconhecedores deixam passar.

Os contratos entre as várias entidades envolvidas também são um factor que influência o preço e a negociação. A venda de uma obra pode envolver o galerista, o marchand/curador e o artista. Alguns vendedores compram obras para depois vender, outros propõem avenças aos artistas que representam, outros propõem contratos de consignação. A maneira como estas entidades se organizam é determinante para a motivação e flexibilidade com que se apresentam.

Os fenómenos da moda também são decisivos na hora de estabelecer o preço, tudo o que está quente é mais caro, mas não significa que seja melhor ou que tenha um futuro promissor.

Esteja atento à qualidade dos materiais, ao processo de execução que o artista usa e à valorização que o mercado faz daquele tipo de obra.

Comprar directamente ao artista – sim ou não?

Sim, sei que sou suspeito, mas a resposta é sim.

Como em qualquer mercado, quanto menor o número de intermediários menor os custos e maior as possibilidades de negociação.

Além de poupar algum dinheiro, aumentará a margem de ganho do artista, por reduzir as taxas. Desta forma, estará a potenciar a evolução da carreira do artista e, com isso, a valorização da peça que adquiriu. Lembre-se que, como qualquer pessoa, o artista tem de pagar contas e só o que sobra poderá ser empregue em novos projectos.

Também há outras vantagens como a possibilidade de o artista criar uma peça personalizada para si. Se comprar num retalhista essa possibilidade simplesmente não existe.

É claro que cada caso é um caso, e cada casa está arrumada à sua maneira. Se não se sente confiante sobre o preço pedido ou se o artista não presta algum tipo de serviço ou informação que solicitou, pode procurar uma galeria que o represente e pedir que o vendedor faça a mediação.

Embora haja artistas com contratos de exclusividade com galerias, é natural que, à medida que a Internet se torna mais segura como plataforma de venda e a logística seja mais acessível, os artistas disponibilizem os seus trabalhos por conta própria online.

Comprar a artistas desconhecidos vale a pena?

Faz sentido comprar sempre que uma obra tenha a qualidade que procura e goste dela.

Se espera obter lucro, pode sempre investir num jovem artista, para todos os efeitos é como investir numa startup. O risco é alto, mas, se correr bem, o lucro também o é. Depois de saber sobre o percurso que o artista tem feito e de saber quais os planos para os próximos anos, pode especular sobre o potencial dele. Poderá ficar admirado ou não.

De qualquer forma é aconselhado escolher obras de que gosta. Assim, mesmo que o artista não valorize, ficará contente por ter uma obra que significa algo importante para si.

É seguro comprar online?

Sim, sem dúvida. O mercado online está cada vez mais seguro e existem formas de perceber se a fonte é respeitável.

Pode sempre começar por seguir algumas regras de segurança até se sentir mais confortável. Comprar em sites estabelecidos, como a saatchiart.com, a artspace.com ou a artzine.com, ou usar plataformas como o Paypal ou o Stripe como método de pagamento, são boas estratégias para garantir que não é enganado ou, se for, terá o seu dinheiro de volta.

Pode também acompanhar os seus artistas favoritos e galerias nas redes sociais e os seus sites. Assim, estará a par das novidades, das ofertas que poderão fazer e sentir-se-á mais seguro na hora de comprar porque está actualizado.

Em caso de dúvida, adie a decisão de comprar. Faça mais pesquisa, peça mais informações, pergunte se há possibilidade de experimentar a peça ou se pode devolver. E não se deixe pressionar, compre apenas quando tiver a certeza do que quer.

Se desejar conhecer as normas que estabeleci para o funcionamento do meu site e como a venda é processada, pode consultar a página “Ajuda” ou a página “Termos e Condições“. São páginas utilitárias e não artigos de opinião, mas contêm informação sobre o processo de venda e certificação das obras, entre outros tópicos.

Diga qual é a sua opinião ou indique quais são as suas dúvidas, deixando um comentário no formulário em baixo.

Se estiver interessado em comprar arte e ainda não se sente seguro, partilhe as suas dúvidas, farei o possível por ajudar e por responder o mais rapidamente possível!

2 + 8 =

Alexandre-coxo-gif